Reader Comments

Estudo De Caso

"mardoqueu dego queiroz" (2018-05-14)

 |  Post Reply

Estudo De Caso Planejamento Familiar para Adolescentes: Um estudo realizado com SCFV de 15 a 17 anos no CRAS Centro. Diante do que foi exposto acima, como psicopedagoga acredito que muitas coisas podem ser feitas, como a elaboração de um projeto em que participe da sua elaboração a psicopedagoga da unidade, a equipe gestora, alunos, pais de alunos, a comunidade e os demais interessados. Acredita-se que as possíveis soluções para este problema não cabe somente aos adolescentes e aos programas destinados ao atendimento desta população, mas a sociedade em conjunto, uma vez que não existe uma saída para este problema que não seja coletiva. Do total de mortes na faixa etária de 20 a 59 anos, 68% são homens. As questões emocionais são de suma importância na adolescência, uma vez que têm uma influência direta e intrínseca na formação da identidade do adolescente, pois é um momento de transformação e readaptação na busca do eu, da identidade pessoal. Métodos caseiros estão cada vez mais sendo utilizados e sendo responsáveis por bons resultados, fazendo assim, com que os homens vêm destruindo a ejaculação precoce aos poucos. Entretanto, sucedem todas as alterações físicas próprias da adolescência e puberdade, com uma ordem rigorosa, pois a variedade reside mais nas idades de começo e de conclusão do processo que na sequência dos seus fenômenos próprios (ALMEIDA, 2003). Estar bem com a própria sexualidade. Lidar com situações como a gravidez precoce na adolescência necessita de uma habilidade grande por parte do professor, pois este deve auxiliar com informações e orientações acerca da própria gravidez e das mudanças sociais que esta causará. Para que a provisão social, prevista na LOAS, seja coerente com as necessidades básicas das famílias, ela precisaria garantir condições de vida em um padrão de dignidade humana. Não existe diferença entre a dependência às drogas lícitas e ilícitas, mas apenas uma convenção social. GALVÃO, L.;DIAZ, J.; Saúde sexual e reprodução da mulher e saúde materna: a evolução dos conceitos no mundo e no Brasil. Para que objetivo seja alcançado foi necessário conhecer as Políticas voltadas para a educação sexual na adolescência; Refletir sobre a educação sexual e sua influência sobre a saúde sexual e reprodutiva do adolescente além de analisar a gestação precoce das pacientes atendidas na Maternidade Ana Braga. Ou seja, não só um momento de desenvolvimento corporal do individuo, como também é marcado por mudanças cognitivas que segundo autor, influenciam no desenvolvimento da personalidade do adolescente. As principais causas da gravidez são, como se viu, desconhecimento de métodos anticoncepcionais, a educação dada à adolescente, que faz com que ela não queira assumir uma vida sexual ativa e por isso não usa métodos, ou usa outros de baixa eficiência (coito interrompido, tabelinha) porque esses não deixam "rastros". As adolescentes conhecem os métodos contraceptivos e continuam engravidando isso porque existe uma lacuna entre conhecimento e uso, e por muitos outros motivos esse conhecimento não tem sido aplicado e transformado em ação efetiva. Com a ajuda da sociedade e principalmente da família os adolescentes terão conhecimento necessário para terem suas relações sexuais, de uma forma mais consciente e responsável. duratron luiza Os trabalhos mostram ainda que além de uma gravidez precoce, essas pessoas estão propensas a se infectarem e a propagarem inúmeras doenças, face exporem-se ao sexo sem se prevenir. Alguns estudos mostram que apesar dos adolescentes iniciarem sua vida sexual antes do consumo de drogas e saberem claramente as formas de transmissão do HIV, pouco alterou seu comportamento sexual para fazer frente à infecção. Acredita-se que a ausência de uma educação sexual mais efetiva, bem como a falta de acesso a informações e programas de saúde relativos à vida sexual e reprodutiva, principalmente destinados a adolescentes, são fatores determinantes para que aconteça a gravidez indesejada. Essa maior vulnerabilidade aos agravos, determinada pelo processo de crescimento e desenvolvimento, pelas características psicológicas peculiares dessa fase da vida e pelo contexto social em que está inserido, coloca adolescente na condição de maior suscetibilidade às mais diferente situações de risco, como gravidez precoce, doenças sexualmente transmissíveis (DST), acidentes, diversos tipos de violência, maus tratos, uso de drogas, evasão escolar, etc. Acredita-se que por este motivo, os conflitos nesta fase da vida são mais intensos, pois além das mudanças típicas da idade, há também uma exigência de preparação para a vida profissional que começa desde sua inserção na vida escolar.

Add comment