Reader Comments

Tem Mais Uma pessoa Pela Linha

"Claudio" (2018-04-14)

 |  Post Reply

Saber se o banco de dados do qual nossas contas de e-mail exercem parte teve informações vazadas é uma amargura constante pela internet. Foi pra nos deixar mais tranquilos após fazer uma consulta em seu site que Troy Hunt, especialista em segurança na internet, construiu o Have I Been Pwned?


É agradável ressaltar que se seus detalhes consultados não constarem como roubados, isso não necessariamente significa que você esteja 100% fora de traço. O web site utiliza como apoio bancos de detalhes que prontamente foram hackeados, como os do LinkedIn e Adobe, e pode ser que sua senha não estivesse nesta relação, entretanto você tenha sido invadido de outro jeito. Ao entrar no Have I Been Pwned?


Se tua conta não tiver sido roubada, uma mensagem positiva aparece no campo verde. Da mesma forma que ocorre com o e-mail, a senha bem como é com facilidade consultada. Basta clicar na área Password nos campos superiores de opções. Mas existe um no entanto: o Have I Been Pwned? Se você quiser consultar a senha atual, a melhor opção é baixar as listas de senhas vazadas que o site disponibiliza. Pra ler pouco mais desse cenário, você poderá acessar o website melhor referenciado desse tópico, nele tenho certeza que localizará novas fontes tão boas quanto essas, olhe no link nesse web site: visite a minha página web. De acordo com o blog, a consulta on-line é uma bacana possibilidade pela hora de elaborar uma nova senha e saber se tua combinação imaginada já não foi hackeada no passado.


No caso dos cabos cat 5e, cada caixa custa cerca de 200 reais neste local no Brasil, o que apresenta cerca sessenta e seis centavos o metro. Os cabos de categoria 6 e 6a ainda são de maiores preços, contudo precisam despencar a um patamar de valor semelhante no decorrer dos próximos anos.


  1. Seja pontual
  2. Impulsionar cinco.000 voluntários nas ações da Prefeitura de São Paulo
  3. Bê-á-bá: saiba quais são as pragas virtuais e encontre dicas para se cuidar
  4. Selecione "Segurança"

Os cabos de par trançados são compostos por 4 pares de fios de cobre que, como o nome sugere, são trançados entre si. Esse sistema cria uma barreira eletromagnética, protegendo as transmissões de interferências externas, sem a inevitabilidade de usar uma camada de blindagem. Esse sistema sutil de proteção contrasta com a "força bruta" utilizada nos cabos coaxiais, onde o condutor central é protegido de interferências externas por uma malha metálica.


O emprego de tranças nos cabos é uma idéia antiga, que remonta ao encerramento do século dezenove, no momento em que a técnica passou a ser utilizada no sistema telefônico, de forma a ampliar a distância que o sinal era qualificado de percorrer. Originalmente, as tranças dos cabos não seguiam um padrão estabelecido, no entanto, com o passar do tempo, o número de tranças por metro, juntamente com outros detalhes técnicos foram padronizados. Isso permitiu que os cabos de par trançado, originalmente criados para transportar sinais de voz, dessem um grande salto de propriedade, passando a responder redes de dez, cem, 1000 e pouco tempo atrás de 10000 megabits, uma evolução realmente inesquecível. À primeira vista, poderá parecer um desperdício abrir mão de metade dos fios do cabo, contudo sem isso o comprimento máximo dos cabos seria muito pequeno e as redes seriam bem mais vulneráveis a interferências.


Voltando ao tema inicial, em todas as categorias, a distância máxima permitida é de 100 metros (com exceção das redes 10G com cabos ordem seis, onde a distância máxima cai pra somente 55 metros). O que muda é a freqüência e, conseqüentemente, a taxa máxima de transferência de dados suportada pelo cabo, além do nível de imunidade visite a minha página web interferências externas. Categorias um e 2: Estas duas categorias de cabos não são mais reconhecidas na TIA (Telecommunications Industry Association), que é a causador da definição dos padrões de cabos. Elas foram usadas no passado em instalações telefônicas e os cabos de classe 2 chegaram a ser usados em redes Arcnet de 2.5 megabits e redes Token Ring de quatro megabits, no entanto não são adequados pra emprego em redes Ethernet. Categoria 3: Este foi o primeiro modelo de cabos de par trançado montado de forma especial para uso em redes.


O modelo é certificado para sinalização de até dezesseis MHz, o que permitiu teu exercício no padrão 10BASE-T, que é o padrão de redes Ethernet de 10 megabits pra cabos de par trançado. Existiu ainda um modelo de cem megabits para cabos de classe três, o 100BASE-T4 (que vimos a pouco), mas ele é pouco usado e não é suportado por todas as placas de rede. A principal diferença do cabo de ordem três pros obsoletos cabos de classe 1 e dois é o entrançamento dos pares de cabos. Categoria 4: Esta ordem de cabos tem uma qualidade um tanto superior e é certificada pra sinalização de até 20 MHz.


Eles foram usados em redes Token Ring de 16 megabits e bem como podiam ser utilizados em redes Ethernet em substituição aos cabos de classe três, todavia pela prática isto é incomum. Tal como as categorias 1 e dois, a classe quatro não é mais conhecida pela TIA e os cabos não são mais criados, ao inverso dos cabos de classe 3, que continuam sendo usados em instalações telefônicas. Categoria 5: Os cabos de classe cinco são o quesito mínimo pra redes 100BASE-TX e 1000BASE-T, que são, respectivamente, os padrões de rede de 100 e mil megabits usados hoje em dia. Os cabos cat 5e devem suportar os mesmos 100 MHz dos cabos cat cinco, contudo esse valor é uma descrição mínima e não um número exato. Nada evita que fabricantes produzam cabos acima do padrão, certificando-os pra freqüências mais elevadas.


Os cabos 5e são os mais comuns na atualidade, entretanto eles estão em processo de substituição pelos cabos classe 6 e ordem 6a, que são capazes de ser usados em redes de dez gigabits. Os cabos classe seis utilizam descrições ainda mais estritas que os de ordem 5e e aturam freqüências de até 250 MHz. Além de serem usados em substituição dos cabos cat 5 e 5e, eles conseguem ser usados em redes 10G, todavia por esse caso o alcance é de apenas cinquenta e cinco metros. Pra permitir o emprego de cabos de até 100 metros em redes 10G foi construída uma nova classe de cabos, a categoria 6a ("a" de "augmented", ou ampliado).



Add comment