Reader Comments

10 Dicas Pra Uma Barriga Chapada Rapidamente

"Joao Joao Lucas" (2018-04-09)

 |  Post Reply

No Brasil, tem aquele velho ditado que diz que "em se plantando, tudo dá". E apresenta mesmo. Tem um monte de plantas que nascem (várias vezes espontaneamente) em parques, ruas, calçadas, no quintal e até nas mais insuspeitas frestas de concreto - e que, sim, podem ser comestíveis. Muitas delas são classificadas como PANCs - plantas alimentícias não-tradicionais. Executam porção desta classe o dente-de-leão, a tanchagem, a beldroega, a taioba, o lírio-do-brejo e tantas algumas. Tem ainda flores comestíveis, castanhas, cereais e frutas imensas.


Contudo como saber o que é de comer ou não? Alguns profissionais especializados, como o gestor ambiental Guilherme Reis Ranieri e a nutricionista Neide Rigo, promovem atividades pra socorrer a identificar o que precisa de comestível pelas ruas de São Paulo. Neide é conhecida por teu Recomendado site da Internet Come-se e criou o projeto PANC pela City, em que recebe grupos periodicamente pra percorrer o bairro da Lapa em pesquisa de plantas, frutas e ervas boas pra deslocar-se pra panela.


Ensina não apenas a identificá-las, porém bem como o que fazer com elas: de chás a bolos e pães. Indico ler um pouco mais sobre isto por meio do website Recomendado site da Internet. Trata-se de uma das melhores referências a respeito de esse foco pela internet. Guilherme Ranieri também tem website sobre isso, o Matos de Ingerir, presta consultoria a nutricionistas, chefs e restaurantes e fornece cursos para os interessados em compreender a discernir as PANCs. Como essa de Neide, Guilherme tem pesquisado o foco há muito tempo e, hoje em dia, dedica-se a uma busca acadêmica na Faculdade de São Paulo sobre o assunto as PANCs.


Seu intuito é encaminhar-se além do conhecimento popular, trazendo infos científicas a respeito de estas plantas e o pretexto para serem consumidas ou não. Antes de começar a colheita, vale doar uma estudada nos tipos de plantas comestíveis da tua região. Guilherme lembra que várias são consideradas PANCs num local, contudo, em outras regiões, estão inteiramente presentes na cultura alimentar. Um prazeroso exemplo é a ora-pro-nóbis, comum em Minas Gerais, todavia insuficiente conhecida em outros lugares. As pessoas têm muito temor de consumir algo e ir mal, dessa maneira é primordial saber o que se está procurando", diz Guilherme.



  • Inclua desafios na sua rotina

  • 1 pedaço amplo de gengibre fresco

  • 1 colher (chá) de hibisco desidratado

  • Rodelas de tomate



site oficial

O especialista explica que as plantas não têm uma regra que determine se são comestíveis ou não, deste jeito a melhor maneira de discernir o que se poderá ingerir é indo a campo com alguém que de imediato entenda do tema. E como você domina que tal espécie é uma PANC? Vale a regra: se você quiser comer uma coisa hoje, que está na época, porém não entende onde encontrar pra obter, nem conhece quem produza ou comercializa, é PANC.


É muito empolgante achar um novo mundo de sabores e alternativas, ainda mais ao alcance de uma caminhada (e sem qualquer custo). Contudo tome cuidado: as plantas que nascem na via conseguem ser contaminadas pela poluição da cidade. O mais crítico são mesmo as folhas e ervas que nascem no chão, em razão de elas acabam fixando diversos poluentes", diz Guilherme. Por esse significado, os frutos são menos afetadas, e existem várias espalhadas pela cidade, como ameixas amarelas, pitangas e amoras, a depender da época. Se as PANCs estiverem em quintais, pátios de casas ou lugares menos sujeitos a poluição, o exercício é mais seguro.


Lírio-do-brejo: é um parente do gengibre e tem flores brancas e lindas que são capazes de ser consumidas cruas ou em preparos (vira até geleia!). A raiz tem um aroma peculiar e é muito utilizada em substituição ao gengibre. Taioba: é uma das PANCs mais difundidas. Tem uma folha imensa, bem verde e grossa, que pode ser picada e refogada, como uma couve. Fica uma delícia no preparo de bolinhos, como faz o chef Eudes Assis em teu restaurante Taioba Gastronomia, no litoral norte de São Paulo.



Add comment