Reader Comments

Gibis

"Maria Alícia" (2018-04-10)

 |  Post Reply

estantesPrateleira. A A marcenaria de Carlos Alberto Ferreira de Carvalho existe desde 1992, mas só começou a produzir estantes para miniaturas em 2003, quando um colecionador procurou. A primeira encomenda não ficou muito adequada, mas cliente gostou muito", diz Carvalho. Após primeiro trabalho, empresário enxergou um mercado carente por estantes, resolveu aperfeiçoar produto até chegar em modelos mais adequados. A poeira é a inimiga do colecionador. Eles querem um produto bem feito para preservar carrinho", completa.

Um dos meus passeios preferidos é ir até as livrarias da cidade xeretar as estantes. Gato Preto, lançado originalmente em 1843 em uma revista semanal, é um dos, tantos conhecidos, contos do autor que envolverão situações macabras e misteriosas. A Martin Claret resolveu apostar pela primeira vez, no formato de quadrinhos e nada melhor do que começar ilustrando uma história que envolva os sentimentos sombrios da natureza humana. Através das ilustrações de Diogo Henrique e Hugo Matsubayashi abriremos a carta do narrador, ele que narra sua própria história, desde a infância conturbada até a vida adulta. narrador conta que sempre prezou os animais e acabou se casando com uma mulher que os admirava tanto quanto seu marido.

Na casa de Herlandson Carvalho Silva, tem adesivo em tudo quanto é canto. Na porta do quarto, no guarda-roupa, na cama, na estante para vinil, na televisão, na geladeira… Difícil haver móvel sem um. Afinal, ele possui cerca de 3.500 adesivos de futebol, um dos maiores acervos do gênero no Brasil. Eles são de mais de 100 clubes brasileiros e de outros 50 países. Coleção inusitada, mas não a única.

propósito da Loja é oferecer aos clientes, uma variedade de miniaturas, atingindo assim os colecionadores iniciantes, bem como os mais "apurados". Tenho a disposição as linhas M2 Machines, Hot Wheels , Hot Wheels 100%, Show Case, GreenLight, Johnny Lightning, Maisto, entre outras.

Apenas pelo prazer de completar uma coleção, terceiro volume de A Era do Apocalipse (Panini, R$ 24,90), chega às bancas e comic-shops esta semana. A saga foi inovadora para os anos 90 nas HQs americanas, mas como envolveu todo universo mutante, resultado ficou bastante irregular. Nesta edição temos os títulos Arma X, X-Man, X-Calibre, Gambit e os X-Eternos e Factor X, além de Amazing X-Men. Ou seja, muita porcaria.

Acho que acabei de responder na anterior. Acho que isso pode trazer mais conhecimento não só pra mim, como pras pessoas para quem empresto meus quadrinhos. Isso ajuda a popularizar a cultura do colecionismo e a cultura em si de um jeito lúdico. Adoro emprestar minhas coisas e despertar nas pessoas a mesma vontade e necessidade por histórias que eu tenho.

Os gibis foram têm seu nome proveniente de uma gíria do Sul do Brasil. Como comecei a comprar mais hqs agora, antes eu só comprava encadernados de história fechada, tenho opção de decidir melhor que comprar já que não estou apegado a nenhuma editora ou personagem, mas pior é ter a sensação de estar deixando alguma hq que possa ser interessante depois para mim, ano passado dropei cavaleiro da lua da nova marvel, mas agora comprei volume 3 avulso, acabei gostando e ao procurar 1 vi que já não tem mais nenhum a venda.

Houve tempos em que coleção era coisa dos extremos da vida: ou matéria de crianças com seus bonés, álbuns de figurinhas e bolinhas de gude; ou distração de aposentados atrás de relíquias como moedas antigas e, ápice dos ápices, selos, muitos selos. Dependendo do tamanho, das cores e do material dos Action Figures, você pode escolher material da prateleira ou da estante: a madeira deixa ambiente um pouco mais carregado, portanto, caso você tenha muitos personagens e de cores e tamanhos variados, aposte no vidro para a exposição da sua coleção.

E essa foi mais uma coleção sensacional de um de nossos leitores! Seria algo como Yanker, " Colecionador Misterioso" (também temos Usys)! Figuras muito maneiras, um gosto bastante diversificado e bem nostálgico! Também me surpreendi ao saber que pude contribuir para que alguém adquirisse uma figura por causa de algum review que fiz! São essas pequenas coisas que nos motivam a continuar escrevendo! Aproveitem e deem uma passada lá na Estante do Yanker, clicando nos links acima.

Já li um bocado de coisa nessa vida, já tive algumas respostas diferentes pra essa pergunta e talvez minha opinião ainda venha a se renovar um dia. Ler um romance é uma experiência bem diferente de uma hq, ritmo de leitura é outro, as sensações de ler só letras e imaginar todo resto é diferente de ver ilustrações e balões de fala em diferentes formatos e cores e, apesar de serem narrativas, os dois universos são diferentes demais. Não tem melhor ou pior, tem apenas diferentes. Não sei que vou querer ler amanhã, sei que minha estante tem de tudo. Concordo com Paulo Ramos, história em quadrinhos é uma mídia à parte da literatura.

Add comment