Reader Comments

Tendências Tecnológicas Emergentes

"Maria Sarah" (2018-04-16)

 |  Post Reply

Eram os meus últimos dias em Londres após quase dois meses morando na terra da rainha estudando inglês, também os últimos dias com os colegas de categoria no Pub que frequentei nas últimas semanas. No decorrer do papo me convidaram pra um programa o qual eu recusei, pois estava com viagem marcada pra Paris para o dia seguinte. Você neste instante esteve lá? Não, é a primeira vez. Para saber pouco mais deste conteúdo, você poderá acessar o website melhor referenciado nesse tópico, nele tenho certeza que encontrará outras fontes tão boas quanto estas, visualize no hiperlink nesse web site: visite minha página inicial. Irei amanhã, fico por quatro noites e embarco pra Roma logo após. E você vai sozinha?


E por que não? No dia seguinte, após embarcar no trem agoniada para entender a cidade iluminação, me peguei pensando pela pergunta da noite anterior e refletindo "Porque será que pras pessoas é tão excêntrico alguém viajar sozinha? Agora repararam que não queremos destinar-se a um boteco, cinema, teatro, show ou restaurante sozinhas sem sermos taxadas como coitadas, solteiras sozinhas e depressivas, sem amigos, fáceis e/ou acessíveis?


Percebo que existe um certo preconceito com quem pede mesa ou ingresso para um. Eu ainda não vejo maturidade suficiente em nossa população pra compreender que é possível estarmos bem e desacompanhadas. Eu nunca tive muito defeito em fazer as coisas sozinha, desde mais nova ia ao cinema, restaurantes (na realidade fast food, contudo ainda portanto conta, não?) e shows sozinha.



  • Tricia trinta de maio de 2015 Responder

  • É errado deixar o telefone recarregando ao longo da noite toda

  • A autoimagem é o perfeito de imagem do cliente

  • Aumentar a velocidade da página

  • Pesquisa pela web por gripe suína podes levar vírus ao Computador

  • 0 | por Redação Oficina



clique em link

A inexistência de companhia nunca me impediu de fazer aquilo que eu desejaria. Era dirigir-se sozinha ou não encaminhar-se, e não deslocar-se ou fazer nunca foi uma opção. E foi nisso que pensei quando respondi a pergunta do meu comparsa de Istambul. Pelo motivo de não destinar-se à Paris sozinha? Antes de desafiar essa aventura no continente antigo, eu conheci um tanto do Brasil viajando sozinha.


Curitiba, Foz do Iguaçu, Rio de Janeiro e Fortaleza. As pessoas te chamam de corajosa e louca no momento em que você conta que viajou ou vai viajar sozinha, há uma certa estima e curiosidade nessas expressões. Te admiram pela iniciativa e logo te enchem de questões sobre isto como você vai em tal lugar, onde vai dormir, com quem vai ingerir.


Durante os dois meses em que morei na Europa, visitei, Lisboa, Dublin, Amsterdã, Madrid, Paris e Roma. E o único ambiente em que fiquei de fato sozinha, foi em Madrid, não por opção, porém em razão de ao longo do banho de banheira no hotel, minha pressão caiu e não consegui conhecer o Pub Crawl da cidade.


O que não estragou minha viagem, pois eu estava de fato cansada e depois que a turista brasileira sumiu em Barcelona, fiquei pensando se não foi alguma providência divina cuidando de mim. Foram dias incríveis pela cidade espanhola, onde pude tomar cerveja ambiente, provar a verdadeira sangria, conhecer a "minha" praça Plaza de Cibeles, visitar o Museu do Prado e também outros pontos turísticos na cidade.


Planeje tua viagem, estude o espaço que vai se hospedar e a distância até os lugares que quer visitar, se programe em como vai fazer isto. Há muitos posts da web sobre o assunto "O que fazer em…". Antes de viajar, descanse. Não passe uma noite em claro, para no dia seguinte atravessar o dia inteiro visitando lugares, o corpo humano responde as nossas ações. Se alimente bem, não exagere, lembre-se que se alguma coisa te acontecer, você estará sozinha.


Para viagens internacionais, estude o idioma local ou no mínimo o inglês. Seja educada ao conversar com as pessoas ou requisitar uma fato, não discursar bem o idioma não é desculpa para inexistência de educação. Dizem que os franceses não gostam de apresentar inglês ou de quem fala inglês, a minha impressão foi diferenciado, quem sabe eles não gostem de quem já os aborda em inglês. Imagine em como você reagiria se estivesse andando na Rua Paulista e um estrangeiro perguntasse "where is this place? Se em português isto é rude, quiçá em outro idioma.


Em Paris eu sempre começava com "Bonjour, vous palez anglais? Oi, você fala inglês? Em Amsterdã vi um comerciante não ser tão educado no momento em que sem nem sequer um Hello perguntaram se ele sabia onde ficava a Moradia da Anne Frank. Não confie em estranhos, seja simpática, receptiva às outras amizades, no entanto esteja a toda a hora alerta.



Add comment