Reader Comments

Blogueira Grava Video Revelando Barriga Dura E Nada Flácida Após Perder 56 Kg: é Impressionante

"Lara" (2018-04-03)

 |  Post Reply

anavar

Cris Cyborg se diz acostumada a ouvir comentários negativos em ligação ao corpo. Os músculos avantajados distribuídos em 1,63m de altura não se enquadram ao modelo de boniteza imposto pelas capas de revistas. A lutadora não se importa. Quer dizer: sorri ao ser questionada a respeito do corpo humano. A curitibana de vinte e oito anos encara como um estímulo quando é comparada a um homem. Se quiser ser alguém no MMA, tem que treinar igual aos homens.


O público não quer observar mulher puxando cabelo. Deve ser agressiva", frisa. Quem não pensa em treinar duro no MMA, que faça balé. Disputo MMA e não balé", resume. Pra campeã dos peso-pena do Invicta (Liga feminina norte-americana de MMA), o organismo robusto é sinal de que os treinamentos estão surtindo efeito. Sou muito feliz com meu corpo.


Eu tenho organismo de atleta. Alguém agora viu como é o corpo de uma atleta de heptatlo, ou de handebol? Não tem como comparar com o corpo humano de uma mulher que não faz esporte. Sou potente em razão de sou atleta", diz a lutadora, por telefone, dos EUA. Dana White, presidente do UFC, argumentou há pouco tempo que Cris teria excessivo nos esteróides com o propósito de ficar parecida com o lutador Wanderlei Silva.


Cris relevou o comentário. Se a ideia dele foi me ironizar, ele só me incentivou a treinar cada vez mais", respondeu. No término de 2011, Cyborg foi suspensa por doping, perdendo cinturão depois de vencer a japonesa Hiroko Yamanaka. Ela comentou na data que passava por processo de redução de peso e não sabia que uma das substâncias presentes no diurético era dopante.


Cyborg ficou um ano e 4 meses sem combater. Paralelamente à intensa rotina de treinamentos, Cris Cyborg reserva espaço pra se tomar conta. Os cabelos e as unhas são tratados em um salão de boniteza em San Diego, onde vive. Em época de preparação à competição, a barriga fica sequinha, eu perco o ‘bundão’ e assim como perco massa muscular sem perder força", detalha.


A atenção às unhas e cabelos terminam no momento em que entra no octógono. A toda a hora treinei duro e não exercício proteção no rosto. Apesar de ter desafio agendado contra Ediane "Índia" Gomes para agosto, na Invicta, Cyborg faz planos de encarar Ronda Rousey pelo UFC. Cyborg entende que só poderá acesso na categoria mais nobre do MMA se alcançar entrar a sessenta e um kg, peso máximo exigido.


Atingir este peso é uma tarefa árdua pra lutadora. Em períodos sem disputa, Cyborg pesa entre setenta e dois a setenta e cinco kg. A Ronda entende que se eu surgir ao UFC eu irei atropelar ela", avisa Cyborg. Baixinha sim, e daí? Ser uma mulher e combater não é acessível. O preconceito ainda é enorme, os sacrifícios perto do que passam os homens é ainda superior e manter a feminilidade no momento em que se está pronta para se atracar com uma rival é quase improvável.


Um detalhe fundamental para a maioria das competidoras é: o que fazer com o cabelo? A solução costuma ser apostar nas trancinhas, o ‘look’ mais usado no octógono do UFC - e várias vezes até por homens. E as trancinhas não solucionam nenhum daqueles problemas, admitem as lutadoras. O UFC não instaura como lutadores de cabelo comprido devem agir. Isto fica a cargo das comissões atléticas que regulamentam o MMA no local das batalhas, mas poucas vezes há exigências nesse significado. Acaba partindo dos próprios atletas a tendência de apostar nas trancinhas como melhor forma de segurar os fios.


Bethe Correia, número doze no ranking feminino e invicta em sete duelos, costuma fazer as trancinhas em porção do cabelo, completando o visual com rabo de cavalo. Todavia nada disso a convence de que vai "arrasar" no visual no octógono. Não são só as mulheres que aderem aos penteados, trancinhas e elásticos no cabelo. O mais famoso a usar o artifício é Urijah Faber - que de imediato lutou pelo cinturão com Aldo e Barão. Um caso famoso foi o de outro cabeludo, Clay Guida, que costuma encaminhar-se ao octógono com os seus fios bagunçados, num modo mais "ogro" de ser. Contra Gray Maynard, a equipe do rival entrou com um pedido pela comissão atlética de New Jersey pra impossibilitar que ele lutasse com os cabelos soltos. Guida teve de obedecer e desta maneira surgiu esse visual da foto acima.



  • Quatro Enxergar também

  • 12º Pholia negra e Pholia magra

  • Trabalho de parto prolongado, por mais de 12 horas

  • Não faça duchas vaginais

  • Obedecer à receita médica (receita)

  • 1 - Estalar as articulações dos dedos é danoso

  • Edinilson trinta e um de Maio de 2016 at 15:55



Eu não acho elegante não, não tenho dúvida muito feio! Acho que fico horrorosa, eu acredito que todas ficam feias. A gente fica com a cara meio modificada, perde a feminilidade todinha. E acima de tudo incomoda. Puxa um pouquinho. Eu mando fazer bem firme mesmo: ‘bota tudo aí para não soltar nada’. Contudo você se acostuma", conta Bethe. É o jeito. Eu sou vaidosa até um correto limite, mas na hora da guerra as coisas são tensas. A paraibana de Campina Vasto de imediato chega à semana de lutas pensando em como vai arrumar os cabelos. Por acaso, ainda não teve de tentar compor o visual sozinha.


Eu a todo o momento levo comigo um kit de presilhas, caso necessite eu mesmo fazer. Logo que chego no hotel em semana de competição, eu irei a salões de lindeza próximos ao hotel e quando tem uma pessoa que faça eu imediatamente marco um horário", conta ela, antes de explicar. Não tem como lutar sem estar com o cabelo bem firme e amarrado. Bethe acaba utilizando as sessões no salão de beleza quase como um spa relaxante. Demora um pouco pra fazer, geralmente fico duas ou 3 horas. Portanto, normalmente eu irei no dia da luta.


Acordo de manhã, tomo meu café da manhã reforçado e irei pro salão. Um outro ambiente interessante que eu adoro e cita-se sobre o mesmo assunto desse blog é o web site https://dicasdemusculacao.com.br/primobolan-o-esteroide-preferido-de-arnold/. Pode ser que você goste de ler mais sobre o assunto nele. Sempre aproveito pra fazer manicure e pedicure - luto a toda a hora com as unhas feitas - e é um estágio pra relaxar. Dá pra refletir, distrair a mente, é mais do que continuar no hotel, pensando só pela luta", admite ela. Jéssica Andrade, mais uma brasileira do Ultimate e hoje em dia nona no ranking, assim como utiliza as trancinhas, entretanto as faz em versão mais "light".



Add comment