Reader Comments

De Olho Pela Obra: Conheça (e Fuja) Dos Erros Em Construções E Reformas

"Maria Isadora" (2018-04-11)

 |  Post Reply

Nas construções de residências podem ser encontrados dificuldades decorrentes de projetos mal elaborados, execuções sem o acompanhamento de profissionais adequados, aquisição de objeto de baixa qualidade ou com defeitos, entre outros. As reformas assim como tendem a levar aborrecimentos, se não houver um agradável planejamento e se soluções improvisadas acabarem sendo aplicadas. Por ti que quer criar ou reformar sem ter dores de cabeça, o UOL Moradia e Decoração elenca os principais erros em construção e reforma e dá recomendações para evitá-los. Fique atento às informações apontadas por especialistas da área e garanta a peculiaridade e o funcionamento esperados pra sua obra!


Destaque pro quadro com imagem feita por Adriana Duque, da Galeria Zipper, e para a cadeira de papelão desenhada por Frank Gehry, para a Vitra, disponível pela Micasa. O mix equilibrado de cores deu vida ao estar, que ganhou conforto com o sofá em "L", da Gallery. Depois da reforma, a integração dos espaços favoreceu a circulação e tornou a rotina mais prática no Loft Vila Leopoldina, que tem projeto assinado pelo arquiteto Diego Revollo. Cozinha, jantar e estar se unem inteiramente compondo um living estendido, charmoso e atual.


Apesar da área reduzida, a dedicação dos móveis perto às paredes facilitou a circulação pelo living. Eu não poderia esquecer-me de mencionar um outro web site onde você possa ler mais sobre isso, talvez imediatamente conheça ele contudo de qualquer forma segue o hiperlink, eu gosto satisfatório do conteúdo deles e tem tudo haver com o que estou escrevendo nesse post, veja mais em semelhante site. O sofá em "L" é seguido na mesa que apoia a luminária de papel reciclado Trash Me, do designer Victor Vetterlein (em primeiro plano). Ocupando toda a extensão de uma das paredes do living, as janelas asseguram a entrada de iluminação natural pros espaços sociais do loft Vila Leopoldina, favorecendo estar, jantar e cota da cozinha. No teto, o trilho com spots e pendentes, da Bertolucci, corre em duas direções: a respeito da mesa de jantar e no centro do estar.


Desenhada pelo arquiteto Diego Revollo, que também assina o projeto de reforma do Loft Vila Leopoldina, a mesa de jantar é estruturada por uma superfície de quartzo amarela. O móvel se prolonga formando uma prática bancada para a cozinha. A cozinha oferece atmosfera vibrante graças às tonalidades escolhidas: vinho pros armários executados pela Florense e amarelo para a bancada com cooktop que se prolonga e forma a mesa de jantar. A divisão entre o banheiro e o quarto do proprietário se dá pelo closet e por uma porta de correr em vidro, instalada entre o armário e a parede.



  • Escolha o paradigma que é melhor pra realidade da família

  • 2013 - 13ª edição

  • Apartamentos subterrâneos

  • Residência nova

  • quatro Como ficam as contribuições sindicais depois da reforma trabalhista

  • Ter condições de fornecer mão de obra, instrumentos e ferramentas para as obras



clique neste website

O mesmo cimento queimado que reveste os ambientes sociais aparece no banheiro, que tem ainda armário preto, bancada e prateleiras em laca cinza e cuba de acrílico. A suíte do proprietário fornece todo o conforto, incluindo a presença da banheira dentro do quarto, um desejo do jovem ator dono do apê, que resultou em uma atmosfera de spa. A banheira revestida em limestone recebeu fechamento em vidro pela parcela superior e foi estrategicamente colocada perto à janela, de modo que o proprietário pudesse apreciar a paisagem da cidade durante o banho. Tudo integrado: banheiro, closet e dormitório não possuem paredes divisórias.


Pela decoração destaque para a manta roxa, da Empório Beraldin, e para a cadeira Laguna, em metal, do acervo pessoal do morador. A banheira revestida em limestone obteve fechamento em vidro pela divisão superior e foi estrategicamente colocada próximo à janela, de modo que o proprietário pudesse apreciar a paisagem da cidade no decorrer do banho. O painel que faz a divisão dos ambientes sustenta TVs em ambos os lados. Nas laterais, as cortinas fecham e dão privacidade aos espaços (quarto e sala). Em primeiro plano, o espaço do home theater, com a cadeira Paulistano, formada pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha.


Com as cortinas abertas é possível ver o dormitório do proprietário. A mesinha de tauari (à dir.) serve pra guardar CDs, DVDs e objetos de vídeo e áudio. O estúdio onde o proprietário grava dublagens retém acústica perfeita dado o revestimento de madeira tauari nas paredes, piso e teto. O recinto - que serve como escritório - conta com uma cadeira One, do designer alemão Konstantin Grcic, produzida pela Magis, e uma luminária da Tok&Stok. O estúdio onde o proprietário grava dublagens tem acústica perfeita dado o revestimento de madeira tauari nas paredes, piso e teto.


O lugar - que serve como escritório - conta com uma cadeira One, do designer alemão Konstantin Grcic, produzida na Magis, e uma luminária da Tok&Stok. O terraço, no pavimento inferior, é inteiramente aberto para o exterior. Por este piso é possível olhar os pilotis (colunas) de concreto que sustentam a casa. No forro foi utilizada a madeira cumaru; as vigas estruturais são de jatobá.


Desse ângulo, é possível verificar a integração total do terraço com a meio ambiente. A madeira aquece visualmente o espaço e quebra a rigidez do concreto usado no piso e nas colunas. Painéis de cumaru com função estrutural aparecem em todos os ambientes, inclusive no canto da sala de jantar, formando um L. O espaço tem fachadas de vidro com aberturas protegidas por barras de ferro.


Jardins de uso comum com caminhos de pedras separam as casas da Vila Taguaí, todas projetadas dentro do mesmo conceito pela arquiteta Cristina Xavier e pelo engenheiro Hélio Olga. A madeira cumaru, que maneira toda a infraestrutura da residência, também compõe a decoração do living. O material está em bancadas, bufês, estantes e aparadores. Totalmente aberta para o living, a cozinha da Residência Vila Taguaí é prática, com prateleiras pra utensílios e mesa pra pequenas refeições. Pela ala íntima, um pequeno hall abriga a cuba do banheiro e serve também como lavabo. Deste espaço é possível visualizar o irão da escada. Os painéis de cumaru formam a infraestrutura da residência e ditam a decoração dos ambientes.


Sem nenhum tratamento, a madeira combina com cada objeto, inclusive com o laminado branco do armário do dormitório do casal. Com atmosfera compreensiva, o dormitório do casal está próximo à saleta íntima e ao hall do pavimento superior. Vista das casas da Vila Taguaí, projetadas na arquiteta Cristina Xavier e pelo engenheiro Hélio Olga. O terreno, com acentuada declividade, teve a vegetação conservada. Vista das casas da Vila Taguaí, projetadas pela arquiteta Cristina Xavier e pelo engenheiro Hélio Olga. O terreno, com acentuada declividade, teve a vegetação preservada.


O living da Casa Vila Taguaí, projetada pelos profissionais Cristina Xavier e Hélio Olga, explora a lindeza do cumaru em teu porte natural, sem qualquer tratamento, compondo paredes, piso e laje. Integrados, os ambientes de estar e jantar desfrutam da visão da Mata Atlântica de um a outro lado das fachadas de vidro. Uma pequena passarela de acesso liga a moradia ao terreno no grau do local de estar, e é a entrada principal da construção.



Add comment