Reader Comments

China Permitirá Investimento Privado Em Saúde, Educação E Outros Setores

"Pedro Enzo" (2018-04-12)

 |  Post Reply

De acordo com a Kaspersky, nos 8 primeiros meses de 2017 foram detectados 33 ataques por segundo pela localidade, um acrescento de 59 por cento se comparado ao mesmo tempo no ano passado. O volume de golpes digitais pela América Latina só cresce. O levantamento considera os vinte países com mais registros: México, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai e Venezuela, com mais de 600 milhões de habitantes.


Sendo, de acordo com a corporação, 385 milhões deles conectados. Do total, 59 por cento usa a Web diariamente — números que só aumentam e tornam a localidade um foco de hackers. Fábio Assolini, analista da companhia. Por esse cenário, 85% dos ataques acontecem mais... em páginas de Web. Outros 15 por cento por e-mail com anexos maliciosos de todos os tipos.


  1. Não incentive o exercício de telefone celular por crianças
  2. Nunca atualize um player de vídeo apenas para ver a um filme
  3. Considere trabalhar com um profissional
  4. Peça pra ler o que eles divulgam em seus blogs, comunidades e salas de bate-papo

Destes, 53% estão concentrados no Brasil. Mas, é preciso ver a densidade nestes países. O Brasil, com maior número de habitantes, mas, não mostra uma diluição no total de vítimas. Assolini. Por esse segundo ranking, contudo, a situação do povo não evolução. Conforme o relatório, o Brasil é apontado como o país mais prejudicial da América Latina em ameaças digitais per capita (de internautas).


Os ataques afetaram 30 por cento dos usuários brasileiros no tempo. Honduras (23.5%), Panamá (vinte e dois.6%), Guatemala (21.6%) e Chile (20.6%) completam o "top cinco de perigo digital". O Brasil bem como lidera um terceiro ranking de crime digital analisado, no que diz respeito a hospedagem de websites maliciosos: 84 por cento dos hosts de origem latino americanas usados em ataques globais estão hospedados no nação. Em tendência, a companhia de antivírus destaca os ataques em Javascript.


Assolini. Para pôr golpes, hackers modificam páginas de blogs e adicionam um código que será executado no navegador. Muito famosos, os arquivos .pdf recebidos por e-mail são usados em ataques de phishing. Não obstante, vale ver as ameaças com extensão .js. Geralmente, são pacotes .zip bem pequenos, com arquivos assim como em javascript inclusos. Até insuficiente tempo, o Gmail aceitava .js ou .vps dentro de compactados geralmente, sem nenhum tipo de bloqueio, o que facilitava a ação. Dentro, enviava-se de tudo: trojan bancário, ransomware e outros tipos de vírus embutidos no pacote.


Pode-se assimilar como ameaças offline golpes que usam de dispositivos USB (pendrives, HD externos), CDs e DVDs contaminados. A companhia chama a atenção para os ''cracks'', especialmente, usados para gerar chaves falsas de softwares e jogos pagos. Outros destaques são os "WinLNK", ícones de falsos arquivos de Windows potencialmente maliciosos que infectam após duplo clique. Assolini. Destes, 50 por cento dos golpes é relativo a pirataria e 40 por cento a malwares.


Outros 10 por cento não foram classificados. De acordo com o último relatório da Software Business Alliance, mais de metade (cinquenta e cinco por cento) dos programas e licenças de software usados pela América Latina hoje são ilegais. Pela listagem abaixo, HackTool, um crack, aparece no topo da tabela de ocorrências. Com 931 1 mil ataques a smartphones e tablets — e uma média de 6 ataques por usuários Kaspersky nos oito primeiros meses do ano —, os crimes envolvem furto de senhas e logins. As infecções mais populares são todas para Android, com cerca de 85 por cento do mercado de aparelhos móveis pela localidade. A ausência do iPhone (iOS), segundo Assolini, se explica por dois motivos: a quantidade de aparelhos smartphones Apple na região é pequeno e os ataques a usuários de iPhone são diferentes, voltados principalmente para que pessoas fez jailbreak (desbloqueio).


O ataque de phishing, via SMS ou mensageiros, é comum entre usuários de iPhone, tendo como exemplo. São usados pra capturar senhas de iCloud ou bloquear o iOS e solicitar resgate (similar com o ransomware). Diferentes, os ataques pra iPhone bem como existem, contudo em menor volume, explica o analista. Recorrentes, os ataques de AdWare que afetam o Android estampam toda a tela com um anúncio amplo e que muitas vezes não se poderá fechar. Esse é um sinal significante de que o aparelho está infectado com adwares — propagandas indesejadas e direcionadas que rodam pra suspender lucro aos hackers. Tal como nos smartphones, adwares são os principais intrusos no macOS, sistema operacional para notebooks Apple. No ranking, vale verificar, aparecem alguns arquivos Windows. Isso acontece por causa de o sistema antivírus checa, independentemente de onde está instalado, todo arquivo baixado por e-mail ou pela máquina. Porém, os arquivos executáveis só no Windows, da Microsoft, não chegam a infectar os computadores com software da Apple.


Se uma aba não está sendo usada, fechá-la poderá acelerar a navegação em algumas. Um dos grandes vilões mais... do desempenho de uma conexão é a transferência de arquivos grandes. Sendo assim, alternativa um horário em que o pc não será utilizado pra baixá-los da web. Aproveitando a oportunidade, encontre bem como esse outro site, trata de um assunto relativo ao que escrevo nesta postagem, podes ser útil a leitura: Mais.... Deste modo, podes-se desfrutar o tempo da madrugada para baixar os arquivos, liberando a conexão durante o dia. Nesses casos, um gereciador de download com opção de agendamento podes ser proveitoso. O Free Download Manager é um exemplo e pode ser baixado nesse link .



Add comment