Reader Comments

Upgrade De Memória RAM

"Maria Rafaela" (2018-04-13)

 |  Post Reply

acesse aqui

UPDATE (20/01/2013): A LeNovo anunciou em teu semelhantes páginas web site todas as informações necessárias para upgrade de HD, Memória RAM e Processador do paradigma G460: Clique nesse lugar pra acessar a página. Porém fique a vontade para rir da minha saga pra achar essas informações do modo mais pré-histórico possível analisando o postagem abaixo. De uns tempos para cá eu encontrei que tenho um dom especial em comprar coisas que ninguém mais no planeta Terra tem. Eu sou da área da informática e por conta disso, amo de observar o máximo da perícia dos meus eletrônicos.


Sou um feliz consumidor - feliz mesmo, sem ironia - da Lenovo. Tenho um laptop que caiu como uma luva para exercer satisfatoriamente minhas atividades pela universidade e assim como em meus momentos de lazer. Comecei, em vista disso a fazer inúmeras pesquisas para localizar qual memória seria a correta pra fazer tal upgrade. Eis que começa a minha sina. No manual do notebook não há a descrição de qual a técnica da placa-mãe; se ela suportaria duas lembranças de 8GB, a título de exemplo.


Não havia assim como se eu poderia fazer um upgrade durante o período de garantia do fabricante. Porém não me desesperei, eu estava ciente que bastariam quinze segundos no Google e meu defeito estaria resolvido. Dias de procura e nada. Aparentemente não existe o meu padrão de notebook em nenhum outro lugar do planeta. Eu cheguei no cúmulo de, após algumas tentarivas, de comparecer a ler a página seis dos resultados no Google.


Desespero mesmo. Após quase uma semana, me conformei que não encontraria o efeito na semelhantes páginas web. Tive que me contentar com a resposta "não sei" no Yahoo! Decidi comparecer à última instância. A última opção. Ligar pro SAC da Lenovo. Queridos, não importa se a corporação é interessante ou não, o SAC é uma porcaria em qualquer quota do Brasil e do universo. Aquele povo que não é treinado a meditar, o labirinto de ramais e a chuva de "espera um segundinho, não nesse setor".


  • Quantidade de memória interna
  • IPhones 6S e 6S Plus: 12 MP
  • 5/9 (Lucas Agrela/Blog Checape)
  • Disco ótico LG tipo Combo, grava CD e lê DVD
  • 3 semanas atrás 1.529

A ligação durou incríveis 35 minutos pra descobrir uma dica básica. Depois desta saga, eu vou enfim publicar por aqui o que localizei conversando nesta ligação com Ricardo, da Assistência Técnica da Lenovo. Super bem, minha gente. Aspiro que eu tenha ajudado mais pessoas pela mesmo situação que eu. Sim, eu fiz o upgrade. Tenho um muito bom note em mãos que, deixe-me dizer, vai satisfazer minhas necessidades por um prazeroso tempo.


A fração superior do chip serve basicamente pra proporcionar o contato entre o processador e a memória interna do chip e o sistema da máquina (o terminal de pagamento). Cada seção desse chip tem uma atividade específica (tensão, regularidade, reset), porém somente uma delas serve pra conduzir as informações. Abaixo do chip, há o substrato de silício, que conta com trilhas e componentes eletrônicos. Como estamos tratando de um cartão de crédito, é presumível que este tipo de componente exija alta segurança, por isso este modelo de cartão traz um processador e alguns módulos de memória (eles são capazes de ser ROM, PROM, EPROM, EEPROM e RAM).


Geralmente, o módulo ROM (ou PROM) guarda as informações do cartão, e há no mínimo mais um módulo (normalmente do tipo RAM) pra contribuir ao longo das transações. A memória EEPROM também é comum, mas não são atribuídas sugestões vitais a esse componente, em razão de ele pode ser explorado por criminosos fraudulentos. O sinal de regularidade no chip geralmente é de quatro,92 MHz, mas em alguns cartões ele é de três,57 MHz.


Esse clock é necessário como fonte pro link de comunicação. O terminal bem como verifica uma série de informações antes de libertar a troca de dados com a administradora do cartão. É preciso pesquisar o tipo de cartão, a data de validade, o nome do cliente e outros dados básicos para que a transação possa ser inicializada. Uma vez conferidos estes fatos, o terminal libera o teclado para que o cliente digite a senha. Depois de dizer o código secreto correto, a transação é iniciada e a administradora vai examinar os detalhes do cartão.


É preciso analisar tipo de conexão, o número do cartão, o recinto onde a compra está sendo criada, associação emissora e outras outras dicas. Afinal de contas, basta analisar o limite disponível e, finalmente, autorizar a compra. Esse processo leva poucos segundos. Em um futuro não muito afastado, os cartões com chip devem cair em desuso, dando espaço aos modelos sem contato do tipo RFID e NFC. Estes novos cartões são mais avançados, não exigindo uma referência de energia e garantindo o pagamento à distância. No cartão com tecnologia RFID (identificação por radiofrequência), os detalhes são armazenados em um chip que podes trocar informações com máquinas de acesso remoto a alguns centímetros de distância. Se quiser saber mais dicas sobre nesse tema, recomendo a leitura em outro fantástico website navegando pelo hiperlink a a frente: semelhantes páginas web.


Você nem tem que recolher o cartão de crédito da carteira. Neste instante o cartão com tecnologia NFC (comunicação de campo próximo) garante a troca de fatos sem que seja vital introduzir ou atravessar o cartão pela máquina. A diferença é que o NFC tem alcance pequeno, sendo preciso aproximar o chip do terminal de pagamento. Esta tecnologia é considerada mais segura. Bom, esperamos que o infográfico tenha sido esclarecedor. Se você tem mais dúvidas a respeito do funcionamento de outros dispositivos eletrônicos, mande tuas informações para nós e, quem entende, faremos um artigo sobre isso.


Nos últimos anos, a know-how de armazenamento dos HDs aumentou bastante, no entanto a velocidade não sofreu avanços significativos. A limitação é do respectivo conceito de disco rígido, que utiliza cabeças de leitura e gravação para fazer operações em discos magnéticos que normalmente giram a uma velocidade de 7.Duzentos RPM. Essas partes móveis não existem numa recente solução de armazenamento, o SSD (sigla para solid-state drive ou disco de estado sólido).


Muito de forma acelerada que os velhos discos rigorosos, o SSD está ficando cada vez mais atraente. O preço por gigabyte está diminuindo, as capacidades de armazenamento estão aumentando e as velocidades de transferência e os tempos de acesso ficaram ainda mais rápidos com a adoção de algumas tecnologias. Como dá certo um SSD? Quanto custa no Brasil? A existência benéfico é muito curta?



Add comment